Muitos familiares ficam inseguros quanto à internação contra a vontade (Resgate do Dependente Químico) do (a) paciente, justamente pelo fato de ter que chamar uma equipe para buscar o dependente mesmo em sua residência ou onde quer que ele (a) se encontre.

Geralmente as perguntas mais freqüentes em relação à remoção são: “Como vocês fazem a abordagem ao dependente químico? Vocês medicam os dependentes? Qual procedimento se o dependente não aceitar o tratamento da dependência química? Vocês vêm em qual automóvel?

São tantas dúvidas em relação à remoção especializada do dependente químico (paciente) que desenvolvemos algumas respostas rápidas e objetivas.

A Remoção é realizada por enfermeiros, motorista e seguranças especializados, capacitados e com experiência na área da Remoção Especializada.

Todos os documentos, que legalizam a remoção involuntária, são assinados no momento da mesma. O veículo usado para a remoção pode ser descaracterizado (carro de passeio) ou em ambulância, em casos de pacientes muito debilitados.

Resgate Técnico Com Ambulância

​​Profissionais altamente qualificados na área da saúde, equipe constituída por socorristas, enfermeiros, motorista e médico quando necessário e solicitado.

Resgate Descaracterizado

Resgate feito em carro de passeio, preservando o anonimato do paciente e da família. A remoção é feita com profissionais capacitados para este fim. Lembrando que antes de qualquer abordagem eles conversam com a família, no intuito de verificar a melhor maneira de abordagem e o histórico de vida do paciente.

Resgate

O transporte aéreo e terrestre de pacientes é realizado com toda segurança e qualidade de atendimento em movimento, por nossa equipe médica especializada, devidamente equipada para que o paciente seja transportado de um determinado local a outro. Nossas ambulâncias UTIs e de suporte básico (simples) são adaptadas para qualquer tipo de imprevisto no trânsito e todas regulamentadas conforme Portaria da Vigilância Sanitária nº 2048/2002. O Transporte Aéreo médico é devidamente equipado para as mais diversas ocasiões e homologado pelo DAC (Departamento de Aviação Civil).

• INTERNAÇÃO INVOLUNTÁRIA / LEI 10.216/2001
Para as situações em que a família ou os cuidadores já esgotaram todas as possibilidades de convencimento do dependente e este já não demonstra mais condições de decidir por si só.
Sendo assim, a remoção poderá ser:

Remoção Simples – Paciente acompanhado de enfermeiro e Socorrista.
Remoção Descaracterizada – Sem a identificação (discreta)
Remoção Intensiva – Equipe médica e paramédica ou UTI móvel.