A terapia Cognitiva visa corrigir padrões distorcidos de pensamentos e comportamentos.

Através de pesquisas (Aaron T. Beck – 1961, 1963 e Beck – 1976,1979) houve a constatação de que as experiências pessoais nos levam a formar pressupostos sobre nós mesmos e sobre o mundo. Tais pressupostos compõem nosso sistema de crenças que determinam o sentido que damos às ocorrências de nossa vida atual. Formam-se então os chamados pensamentos automáticos, que invadem a mente da pessoa, em geral associados à emoções desagradáveis. Estes pensamentos interferem nas interpretações de experiências atuais, previsões sobre eventos futuros, ou lembranças de fatos passados.

A Terapia Cognitiva tem como princípio básico à proposição de que não é uma situação que determina as emoções e comportamentos de um indivíduo, mas sim suas cognições ou interpretações a respeito dessa situação.

Os procedimentos aplicados visam a identificação de pensamentos distorcidos (cognições) e a correção dos mesmos com o objetivo de mudar as crenças prejudiciais ou dos esquemas que se encontram como “pano de fundo” a essas cognições, e encontrar alternativas que mudarão seus sentimentos e emoções.

Alguns pontos básicos da Terapia Cognitiva

– Os pensamentos influenciam as emoções e o comportamento dos indivíduos, bem como suas respostas fisiológicas.
– Os pensamentos são influenciados pelas crenças dos indivíduos.
– Diante de determinadas situações as crenças ativam pensamentos automáticos, que, por sua vez, provocam respostas emocionais, fisiológicas e de conduta.
– Os pensamentos automáticos, quando negativos ou catastróficos, provocam respostas emocionais, fisiológicas e comportamentos desadaptados.
– A correção dos pensamentos automáticos e das crenças disfuncionais provoca mudanças nas emoções e no comportamento.
– A Terapia Cognitiva promove correções, readaptando as emoções, os sentimentos, comportamentos, atitudes e todos os sintomas psicológicos.